quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Chamada Pública para seleção de pessoal

Realização: NEIJ/CEAM/UnB 

Comissão de seleção: deverá ser formada uma comissão, pelo NEIJ/ CEAM/UnB, para seleção do pessoal para desenvolver o projeto a ser realizado no Distrito Federal, de acordo com as atividades previstas no Plano de Trabalho.

Divulgação do edital: site do Violes (www.violes.unb.br);

portal da UnB, site SDH, site do NEIJ/CEAM e suas respectivas redes de relacionamento.

Data de divulgação: a definir.

E-mail para envio dos currículos: violes.unb.adm@gmail.com

Para mais informações, clique aqui.

Programa Justiça Comunitária promove aula "Inquietação" para Agentes Comunitários na UnB

O Programa Justiça Comunitária tem o prazer de convidá-lo(a) para participar da Aula de “Inquietação” no campus da UnB, no dia 30 de outubro, às 10:00 horas, no Teatro Arena. O evento tem orientação de Boaventura de Sousa Santos. O Professor Boaventura é doutor em Sociologia pela Universidade de Yale/Estados Unidos; é Professor de Sociologia em Coimbra/Portugal. É poeta. Conhece, como poucos, o Brasil, sobretudo pela sua intensa participação no Fórum Social Mundial em Porto Alegre. Defende os movimentos sociais como forma de fortalecimento da democracia participativa. Venha conhecê-lo. Ele tem tudo a ver com você, que é Agente Comunitário de Justiça e Cidadania!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

V Encontro Binacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes


>> Folder

O que é esta sigla PAIR? Programa de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto–Juvenil. É um programa da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República que tem como base de intervenção o município e está pautado nos eixos do Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Infanto-Juvenil: Análise da situação, Mobilização e articulação, Defesa e Responsabilização, Atendimento, Prevenção e Protagonismo Juvenil. http://pair.ledes.net. A metodologia do PAIR foi incorporada pelo MERCOSUL através do Projeto ”Rede Regional de Luta contra o Tráfico de Crianças e Adolescentes para fins de Exploração Sexual na Região do MERCOSUL” www.pairmercosul.net

Objetivos do PAIR MERCOSUL - Implantação de uma estratégia regional de enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes e tráfico para esses fins nas 15 cidades gêmeas das fronteiras entre Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, construída a partir de experiências validadas e sistematizadas de mobilização, organização, fortalecimento e integração de redes e serviços locais de prevenção, atendimento, defesa e responsabilização

O PAIR Mercosul está em implementação desde 2009 e já foram cumpridas as etapas de articulação política e adesão ao Programa; realização de um Diagnóstico Participativo que desvele o fenômeno da violência sexual; e a realização de Seminário Municipal para debater o problema e construir um Plano Operativo de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes e a definição da Comissão Local. Está em execução a capacitação da rede e a construção do Plano Binacional.

Desaparecimento de crianças assusta moradores do interior do país

O desaparecimento de crianças em cidades do interior do país chama a atenção das autoridades.

O assassinato de uma menina em Goiás revoltou a população e hoje o corpo de uma outra garotinha foi encontrado, em Minas Gerais.

Camila Grazie do Santos era uma das seis crianças da lista de desaparecidas em Minas, todas do interior do estado.No começo da manhã o corpo da menina, de cinco anos, foi encontrado, com sinais de violência sexual, dentro de um saco na beira de um rio, a um quilômetro da casa dela, em Bom Sucesso, sul de Minas. Como em quase todos os casos, ela saiu sozinha para brincar perto de casa com um amiguinho.

" Eu vi ela passando aqui e chegou no portão chamando o menino, mas ningué atendeu", conta a vizinha Neusa das Dores.

Depois disso não foi mais vista. Fotos da menina foram distribuídas de mão em mão , espalhadas pela cidade e mobilizaram as redes sociais.

Uma usuária de droga que foi vista com uma criança na zona rural foi presa, mas até agora não foi comprovada a ligação dela com o caso. A policia também procura por um homem de comportamento estranho que foi visto três dias seguidos na rua onde Camila morava.

"Um homem numa brasília roxeada suja, muito suja brasília . Ele é escuro de cabelo grandão barba grande", relata Remi Aparecida, uma outra vizinha.

No interior de Goiás, a polícia procurava Gabrielly Caroline Dias Rocha, de dez anos, que esta desaparecida há cinco dias.

A menina também saiu de casa sozinha para ver uma amiga que mora na mesma rua, na cidade de Uruana. O pai da coleguinha disse à polícia que matou Gabrielly e escondeu o corpo numa mata fechada, onde estão sendo feitas as buscas. Fotos mostram que uma multidão tentou invadir ontem a delegacia, onde ele está preso.

Segundo a polícia, a violência sexual e o tráfico de crianças para exploração sexual, trabalho escravo e adoção ilegal são os principais motivos dos desaparecimentos. E os casos tem aumentado no interior, porque os pais acreditam que esse tipo de crime está longe das cidades pequenas.

Eu oriento os filhos para não se afastarem da residência, mas o risco também existe ali nas proximidades em razão até da ausência de vigilância. Nós orientamos, no sentido de que a criança não fique sozinho", afirma a chefe da divisão de pessoas desaparecidas, Cristina Coeli.

De acordo com o Ministério da Justiça, 84 crianças, com idades entre zero e sete anos, estão desaparecidas no Brasil.

As maiores ocorrências são nos estados do Rio e de Minas Gerais.


Fonte: Jornal Hoje - Globo.com

Mortalidade das mulheres brasileiras caiu 12% na última década

A mortalidade das mulheres brasileiras caiu 12% na última década. A boa notícia faz parte de um estudo divulgado hoje pelo Ministério da Saúde.

Elas esticam, puxam, se exercitam, cuidam do corpo. A aula de alongamento é na cidade de Samambaia, perto de Brasília. Duas vezes por semana, a turma se reúne em um salão ao lado do posto de saúde. Dona Maria Cecília da Conceição tem artrose e pressão alta. Chegou ali por orientação da médica. "Fazendo exercícios ela disse que eu ia melhorar e eu estou melhorando", confirma a dona de casa.

E não são só os exercícios melhoram a vida das alunas. “Junta atividade física, mais amizade e mais controle de doença também”, afirma a agente comunitária Solange de Souza.

Iniciativas como essa explicam, em parte, a queda da mortalidade entre as mulheres nos últimos dez anos. A pesquisa do Ministério da Saúde mostra que a taxa caiu 12% em média, no Brasil. Houve redução em todas as regiões. A maior foi no Sul,14,6%. E a menor, na região Norte: 6,8%.

Trinta e quatro por cento das mulheres que morreram com mais de 30 anos, tiveram problemas cardiovasculares, como infarto ou AVC. Essas são as doenças que mais matam nessa faixa de idade. A segunda causa de mortes é o câncer e os três tipos que mais fazem vítimas são o de mama, de pulmão e o do colo do útero.

O Ministério da Saúde comemora a queda da mortalidade. Diz que o acesso aos medicamentos para doenças cardiovasculares foi ampliado e, no caso do câncer, o diagnóstico precoce tem ajudado a salvar vidas.

“Nós reduzimos a mortalidade pelo câncer do colo de útero. Nós precisamos reduzir ainda mais, sobretudo nas regiões norte e nordeste do país. E nós precisamos expandir o acesso ao diagnóstico para o câncer de mama”, diz o ministro da saúde, Alexandre Padilha.

Na faixa etária entre 10 e 29 anos, a maioria das mortes é causada por acidentes ou por agessão.

As mortes de meninas menores de 10 anos são por complicações na gravidez da mãe ou por doenças no primeiro mês de vida.


Fonte: Jornal Hoje - Globo.com

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Documentário "Cidade Olímpica Para Quem" investiga o destino dos recursos para realização do evento

Assista clicando aqui!

Esse documentário começou a ser filmado um ano atrás, de forma independente, com pouquíssimo recurso conseguido através da produção de um evento cultural. A equipe abriu mão de seus salários e os equipamentos foram cedidos gratuitamente. Percorremos as comunidades do Vidigal, Vila Autódromo, Providência, toda a Zona Portuária do Rio de Janeiro e o Maracanã, obtendo diversas imagens, entrevistando muitos moradores, participando de reuniões, debates e conflitos. Além disso, entrevistamos o professor Carlos Vainer do IPPUR/UFRJ, pesquisador de megaeventos, o Deputado Estadual Marcelo Freixo e o Deputado Federal Romário.

Nesse período, investigamos para onde estão indo todos os bilhões investidos no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro, visando a Copa do Mundo e as Olímpiadas. Está muito claro para nós, que grande parte desse dinheiro sairá dos cofres públicos e servirá para enriquecer um grupo muito restrito de empreiteiros, políticos, bancos e empresários envolvidos com esses megaeventos. O legado que vai ser deixado para a população é muito pequeno. E o pior de tudo: várias comunidades estão sendo removidas, ilegalmente, das áreas de forte interesse imobiliário para periferias distantes, sem nenhuma infraestrutura e dominadas por milícias fortemente armadas e extremamente violentas.

Pretendemos continuar investigando esse processo, mas fazer cinema é complicado e os equipamentos são caros. Os meios de financiamento no Brasil são oriundos de leis de incentivo/editas que envolvem o governo ou grandes empresas, que jamais apoiariam projetos como o nosso. Estamos tentando o financiamento coletivo para prosseguir com o filme. Você pode doar qualquer valor a partir de 10,00 em troca de recompensas criativas, e ajudar na produção e divulgação dessas informações para a população. Precisamos de 90.000 reais, o que ainda é pouco, pois queremos filmar muito mais, finalizar um longa-metragem, divulgar na internet e exibir nas ruas, praças e comunidades através do Cine Ataque. Acreditamos que o nosso vídeo pode chamar a atenção da sociedade para as injustiças que estão sendo cometidas contra o povo brasileiro. JUNTOS, NÓS PODEMOS INTERVIR NESSA REALIDADE. PARTICIPE !!!!


Fonte: Grupo de Discussão sobre Protagonismo Juvenil

Exploração sexual e grandes eventos esportivos é tema de seminário internacional

A relação entre a exploração sexual infantojuvenil e grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas, será discutida no próximo dia 23, em um seminário internacional na capital francesa. O evento será promovido pelo Conselho Nacional do SESI em parceria com a Fundação Scelles e a rede ECPAT (sigla do inglês End Child Prostitution And Trafficking– Fim da Prostituição e Tráfico de Crianças).

O objetivo é alertar as autoridades francesas e brasileiras, profissionais de turismo, sindicatos e organizações não-governamentais, dentre outros, sobre os riscos do aumento da exploração sexual de crianças e adolescentes, em função do fluxo turístico que será gerado durante a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, no Brasil.

A ideia é construir estratégias comuns de prevenção. Para isso, o seminário “A Exploração Sexual e os Grandes Eventos Esportivos” reunirá representantes de instituições do Terceiro Setor e dos governos brasileiro e francês. Dentre eles, a ministra brasileira de Direitos Humanos, Maria do Rosário; o presidente da ECPAT France, Xavier Emmanuelli; o presidente da Fundação Scelles, Yves Charpenel; o diretor do Escritório de OrganizaçãoInternacional do Trabalho na França, Jean-François Trogrlic; e o presidente do Conselho Nacional do SESI, Jair Meneguelli.

A programação contará com a apresentação de um diagnóstico sobre as causas da exploração sexual no Brasil e dos fatores que levam os estrangeiros a praticarem o chamado “turismo sexual”nos países em desenvolvimento. Além disso, haverá ainda a apresentação de um relatório sobre as consequências econômicas do fenômeno para os países de origem e de destino.

Na manhã do dia 24, haverá um encontro com a imprensa e convidados para a apresentação das conclusões e dos compromissos assumidos no seminário, seguida do lançamento de uma campanha de conscientização contra o turismo sexual, que será veiculada na Europa, de 2013 até o término da Copa do Mundo de 2014, e replicada no Brasil pelo SESI.

O fenômeno da exploração sexual

Estima-se que dois milhões de crianças se prostituam no mundo, segundo relatório da Fundação Scelles. De acordo com a pesquisa divulgada no início do ano, mais de 40 milhões de pessoas no mundo se prostituem atualmente e a grande maioria (75%) são mulheres com idades entre 13 e 25 anos. A entidade analisou o fenômeno em 24 países e revela quase a metade das vítimas de redes de tráfico humano são crianças e jovens com menos de 18 anos.

SESI, membro da rede nacional de enfrentamento à exploração sexual

Para apoiar a luta contra o fenômeno no Brasil, o Conselho Nacional do SESI criou em 2008 o projeto ViraVida. Por meio do programa, jovens de 16 a 21 anos que sofreram abuso ou exploração sexual recebem capacitação profissional, atendimento psicossocial, educação básica e inserção no mercado de trabalho. O projeto é desenvolvido em parceria com o Sistema S em 16 estados (CE, BA, SE, PE, RN, PA, AL, MA, PI, PB, DF, RS, PR, RJ, RO e MG) e está em fase de implementação em Manaus (AM), Goiânia (GO), Cuiabá (MT) e São Paulo (SP).

Sobre a ECPAT e a Fundação Scelles

A Rede ECPAT é uma coalizão internacional de organizações da sociedade civil que trabalham pelo fim da exploração sexual de crianças e adolescentes, compreendendo quatro dimensões: prostituição, pornografia, tráfico e turismo sexual. A rede existe desde 1990 e, atualmente, está presente em 85 países.

Já a Fundação Scelles, é uma entidade da sociedade civil criada em 1993, que também luta contra a prostituição, o tráfico de seres humanos, o turismo sexual e a pornografia infantil. A fundação promove debates, ações de conscientização e prevenção da exploração sexual.


Fonte: Site do SESI

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Um terço da população mundial está conectada à internet

Um informe publicado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), uma agência das Nações Unidas, deu a conhecer que mais de um terço da população mundial está conectada à internet.

De acordo com o relatório da UIT, "o desenvolvimento dos serviços de banda larga produziu um aumento de 11% do número de internautas no mundo no ano passado”.

UIT informou que no início de 2012 havia 2,3 bilhões de internautas no Globo terrestre, o que representa mais de um terço da população mundial.

A UIT explicou que o número de pessoas que têm acesso à internet de alta velocidade com aparatos móveis é o dobro dos que navegam com uma conexão fixa de alta velocidade.

O informe também deu a conhecer que cada vez mais pessoas no mundo têm acesso à internet em casa. Entre 2010 e 2011, a porcentagem de lares com conexão de internet aumentou 14%. No final de 2011, um terço (600 milhões) do 1,8 bilhão de lares do planeta tinha acesso à internet.

Em nível de países, China concentra 23% de todos os internautas do mundo, enquanto que a parte dos países em desenvolvimento dentro do total de internautas do mundo passou de 44% em 2006 para 62% em 2011.

A UIT prognosticou que antes de 2015 40% dos lares nos países em desenvolvimento terão acesso à internet e explica que o auge dos telefones inteligentes e dos tablets será decisivo para que o número de internautas aumente de maneira significativa.

Fonte: TeleSUR-AFP-Terra-ABCColor/vg - FC / Adital

Candidaturas que defendem as causas LGBT crescem no país

Em 1996, um grupo de oito ativistas gays resolveu dar visibilidade às demandas da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) junto ao Legislativo, e se candidataram nas eleições municipais daquele ano. Dezesseis anos mais tarde, em 2012, há 155 candidaturas LGBT, representando um aumento de 1.937,5%.

Há uma candidatura (gay) ao cargo de prefeito de João Pessoa e 154 candidaturas a vereador(a) em 24 dos 26 estados (não há eleições no Distrito Federal), faltando apenas os estados do Acre e do Mato Grosso. São 85 candidaturas de gays, 25 lésbicas, 24 transexuais, 16 travestis, 4 bissexuais e 1 drag queen.

Os estados com mais candidaturas LGBT incluem a Bahia com 34, seguida de São Paulo com 27, Minas Gerais com 18 e Rio Grande do Sul com 12.

As candidaturas também são diversificadas em termos dos partidos políticos. São 24 partidos ao total, desde o PSC e os Democratas até o PSTU. Os partidos com mais candidaturas LGBT são o PT (27), o PSOL (19), o PSB (15), o PCdoB (134), o PV (9), o PSDB (6) e o Democratas (3).

Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - ABGLT, salienta que "embora tenhamos feito essa lista de candidaturas LGBT e aliadas à causa LGBT com o objetivo de orientar o eleitorado LGBT, é importante que as pessoas procurem conhecer a história de luta e as propostas dos/das candidatos/as antes de votar neles”.

Mais informações identificando as candidaturas, cargos pretendidos, município, estado, partido e contatos estão disponíveis em www.abglt.org.br.


Fonte: Adital

Trabalho doméstico infantil é resultado da desigualdade social, diz ministra

Ao falar sobre trabalho infantil doméstico no seminário “Trabalho infantil, aprendizagem e Justiça do Trabalho”, nesta quinta-feira (11), em Brasília, a ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), disse que o trabalho infantil doméstico é um fenômeno de classe. “Só trabalha quem é pobre ou extremamente pobre, e a maioria são do sexo feminino e negras,” afirmou rosário, apontando dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD/2011.

Durante o seminário, organizado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), a ministra disse que o grande desafio é superar a invisibilidade, já que a fiscalização sobre o trabalho doméstico dentro de casa é proibida. “Muitas vezes essas meninas trabalham em sua própria casa, ou em domicílio de terceiros, também são levadas com a autorização de suas famílias para trabalhar nas grandes cidades”, explica.

Para a ministra, o combate ao trabalho escravo infantil deve passar por uma política pública com visão sistêmica, semelhante ao Plano Brasil Carinhoso, que atua de forma ampla para assegurar proteção integral à infância brasileira. “Com o Brasil Carinhoso tiramos milhões de famílias com crianças menores de seis anos da situação de extrema pobreza, e ao mesmo tempo trabalhamos no enfrentamento do trabalho infantil doméstico, já que liberta também as crianças que cuidam de outras crianças dentro de suas casas” afirmou.

O seminário sinaliza, segundo a ministra, a preparação institucional do país para a erradicação do trabalho infantil, rumo à 3ª Conferencia Mundial Contra o Trabalho Infantil, que ocorrerá em outubro de 2013, no Brasil.

Para a especialista em Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes da Universidade de São Paulo (USP), Márcia Acioli, a proteção integral da criança deve ser o ponto de referência da Formação em Direitos Humanos nas escolas. “Ter direitos significa usufruí-los em condições igualitárias, para todas as etapas da infâncias,” afirma.

O seminário contou com a participação de magistrados, procuradores, organizações não governamentais, auditores fiscais do trabalho, servidores públicos, professores e estudantes.


Fonte: Secretaria dos Direitos Humanos

domingo, 14 de outubro de 2012

Países Ibero-Americanos se unem pela melhoria das condições de vida dos idosos

O envelhecimento da população e o prolongamento da vida são evidentes em nível mundial e têm também o seu reflexo na comunidade Ibero-Americana. No Brasil, o ritmo de crescimento da população idosa tem sido sistemático e consistente. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2011, o país contava com uma população de cerca de 23,5 milhões de pessoas de 60 anos ou mais de idade.

A partir desta perspectiva e com o objetivo de conhecer e melhorar a situação dos idosos na região, representantes governamentais do Brasil, Espanha, Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Paraguai e Uruguai estiveram reunidos esta semana, entre os dias 8 e 11 de outubro, em Cartagena das Índias/Colômbia, para o curso sobre “a melhoria das condições de vida dos idosos na região ibero-americana”.

Organizado pela Organização Ibero-Americana de Seguridade Social – OISS, em parceria com a Agência Espanhola de Cooperação Internacional e Desenvolvimento – AECID, o evento foi dirigido aos ocupantes de cargos diretivos e altamente especializados de instituições empenhadas nas políticas públicas voltadas aos idosos, com o objetivo de conferir aos participantes uma visão panorâmica das condições de vida, necessidades e demandas desse segmento da população a nível Ibero-América.

Situado no contexto do Programa Ibero-Americano sobre a Situação dos Idosos na Região, objetivou-se, com o curso promover também o intercâmbio de experiências e boas práticas entre os países da região, gerando um espaço de profícuo debate sobre os diversos modelos de políticas sociais para o envelhecimento digno, ativo e saudável, com respeito aos direitos humanos.

A Secretária Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Salete Valesan Camba, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), que atualmente coordena no Brasil o Programa Ibero-Americano sobre Idosos, participou do encontro. A secretária ressaltou a importância do evento no processo de construção do plano nacional e no fortalecimento da política pública de promoção dos direitos humanos para os idosos no Brasil. Segundo Salete, como produto final do evento deverá ser elaborada uma publicação com materiais e conclusões do curso para sua distribuição a instituições públicas, organizações internacionais, especialistas, entre outras entidades ligadas à temática.

Programa - O Programa Ibero-Americano sobre a Situação dos Idosos na Região foi aprovado pela XXI Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo, realizada em Assunção/Paraguai, em 2011. Com duração prevista para três anos, é formado, atualmente, por representantes do Brasil, Argentina, Chile, Equador, Uruguai, Paraguai, México e Espanha.

Seu maior objetivo é promover e fortalecer as políticas públicas necessárias para uma maior proteção dos direitos e desenvolvimento dos idosos na região, por meio do conhecimento da situação, estudo, investigação e avaliação, a fim de promover melhores oportunidades a eles. Em outubro de 2011, o Brasil formalizou seu interesse em participar do Programa. O programa é coordenado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em parceria com a Agência Brasileira de Cooperação e com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Também participam os ministérios da Saúde, Previdência Social e o Instituto Nacional de Seguro Social.


Fonte: Secretaria dos Direitos Humanos

DF tem cerca de 200 mil idosos

A Codeplan divulgou nesta tarde o estudo Perfil da População Idosa do Distrito Federal, que apontou cerca de 200 mil pessoas acima de 60 anos no Distrito Federal, números que aumentam significativamente. O evento contou com as presenças do Secretário Especial do Idoso, Ricardo Quirino, da Promotora de Justiça de Defesa da Pessoa Idosa e da Pessoa com Deficiência, Sandra Julião, dos diretores e técnicos da Empresa, representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda e órgãos da imprensa.

Segundo o presidente da Codeplan, Júlio Miragaya, este é o primeiro estudo que trabalhou os dados do Censo Demográfico do IBGE por Região Administrativa.

Para ele, no Brasil, de um modo geral, existe um preconceito em relação às pessoas idosas, ao contrário do que se observa nos países asiáticos em que alguns cargos públicos e/ou privados só são ocupados por pessoas acima de 60 anos, como os cargos de conselheiros. Aqui, ressaltou ele, ocorre o inverso e temos a chamada aposentadoria compulsória no serviço público, que obriga o
servidor a se aposentar aos 70 anos.

Em 2000, o Distrito Federal tinha uma população de pouco mais de 2 milhões de pessoas, das quais 5,3% eram idosos. Em 2010, esse percentual era de 7,7%. As projeções para 2020 e 2030 são, respectivamente, de 10,4% e 14,9%. Para o país, o percentual de pessoas idosas é ainda maior, variando de 8,6% em 2000 para 10,8% em 2010. Estima-se que, no Brasil, em 2020, 13,7% da população serão de idosos, subindo para 18,7% em 2030.

Para o Secretário Ricardo Quirino, a pesquisa retratou bem o perfil do idoso no DF e será importante para a definição de políticas efetivas na área e dimininuir as deficiências apontadas.

Sandra Julião, da Promotoria de Justiça, ressaltou a importância da realização da pesquisa, fundamental para se realizar qualquer trabalho, momento em que também destacou que em seus 12 anos atuando na área tem registrado como maior gargalo a violência doméstica e a questão da saúde mental.

Para o diretor de Estudos e Pesquisas Sociais, "o envelhecimento populacional vem se dando de maneira rápida e diferenciada por sexo, raça, grupo etário, renda, território. Além disso, ocorre num contexto de profundas transformações sociais e dos arranjos familiares, provocando ajustes de rumos nas esferas pública e privada. Tal situação implica oportunidades, problemas e desafios
para a proteção social efetiva às pessoas idosas, no que se refere às políticas públicas e em relação à família". Para ele, as políticas públicas devem estruturar-se para responder às demandas decorrentes deste fenômeno mundial, que possui recortes próprios no Brasil, tendo em vista sua formação histórica, econômica e social.

Confira a pesquisa, na íntegra, pelo link: Perfil da População Idosa do DF


Fonte: Codeplan

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

No Brasil, país tido como o mais católico do mundo, a Igreja Católica não foi atingida pelo tsunami de denuncias de pedofilia que abalou a tradicional hierarquia religiosa de países como Alemanha, Bélgica, Holanda e Irlanda.

Aqui, tem havido no noticiário da internet muito mais casos de pastores pedófilos ou suspeitos dessa prática do que os seus colegas padres, sem que a grande imprensa dê conta disso.

Três exemplos recentes. No dia 20 de junho, a Polícia Civil de Duque de Caxias (RJ) prendeu o pastor Juarez Ferreira da Silva, 52, que estava foragido por ter sido condenado a 12 anos de prisão por ter estuprado quatro meninas. No dia 1º de julho, o pastor Dionísio da Silva Mattos, 55, de um templo da Assembleia de Deus em Magé, na Baixada Fluminense, foi preso sob a suspeita de ter abusado de uma menina de 12 anos. Dias depois, a imprensa portuguesa informou que o pastor Celso Miranda, 43, da mesma denominação, fugiu para o Brasil porque teria violentado um menino de 13 anos.

A imprensa dá muito mais visibilidade aos casos de padres pedófilos, como se as vítimas deles fossem mais importantes. Os padres de Arapiraca (AL), por exemplo, têm sido contemplados pela cobertura dos grandes jornais, portais e TVs. A prisão do pastor protestante Edimário Gama de Freitas, 65, sob a acusação de abusar de filhos de fiéis, só foi noticiada pela imprensa regional, na Bahia.

Se não fosse o noticiário da internet, principalmente de sites de pequenas cidades, não se saberia da existência de tantos pastores evangélicos suspeitos de abusar de crianças. Geralmente, as vítimas são de famílias pobres e ingênuas. Acreditam, pelo menos inicialmente, que massagens de pastor podem expulsar o Satanás do corpo e em sessões de oração de “cura interior”.

Com base apenas nesse noticiário, não é possível dizer que existem proporcionalmente mais pastores pedófilos do que padres. Para isso, haveria a necessidade de um estudo aprofundado, que levasse em conta, por exemplo, a quantidade de pastores e de padres.

O evidente é que os líderes evangélicos, provavelmente por causa de grande pulverização das denominações, não têm manifestado preocupação com a pedofilia de seus sacerdotes, diferentemente do que ocorre em relação à Igreja Católica.

Ninguém da Assembleia de Deus, que é a maior denominação evangélica do Brasil, tocou no assunto até agora, embora, entre os suspeitos de pedofilia, muitos sejam seus sacerdotes. Lideranças nacionais, como o pastor Silas Malafaia, estão preocupadas mesmo em tolher os direitos de outros, como os homossexuais.

Talvez os evangélicos passem a enxergar os seus pedófilos, e não só os da Igreja Católica, quando a imprensa os descobrir.


Fonte: Portal Paulopes

Moradores apoiam ocupação de conjunto de favelas, mas pedem melhorias sociais

A ocupação, por cerca de 1.300 homens das forças de segurança, dos conjuntos de favelas do Jacarezinho, de Manguinhos, Mandela e Varginha foi bem recebida pelos moradores, que pedem melhorias sociais para as comunidades, principalmente habitação e saneamento. Embora o receio de falar com a imprensa ainda perdure, aos poucos as pessoas vão dizendo o que pensam da presença dos policiais, com o objetivo de instalar a 29ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

“Eu levanto as mãos aos céus. Criei os meus três filhos aqui em Manguinhos. Isso era muito ruim. Agora acho que vai melhorar”, disse a moradora, que trabalha como acompanhante de idosos e se identificou apenas como Maria, enquanto passava em frente aos blindados dos fuzileiros navais usados na operação.

Para a auxiliar de serviços comunitários Rosângela França, que trabalha na limpeza urbana em Manguinhos, não basta só a presença da polícia. “Não é só isso. É preciso urbanizar para as crianças poderem brincar. Aqui tem três campos de futebol, mas quando chove alaga tudo”, disse ela. A cozinheira Rosilda Oliveira Machado também pede melhorias: “Tem que ter gente do serviço social para nos ajudar depois. Senão vai continuar a mesma coisa”.

Nas comunidades de Manguinhos, Jacarezinho, Mandela e Varginha, ocupadas hoje (14) pelas forças de segurança, é comum ver quantidades enormes de lixo espalhadas pelas áreas livres, onde se cria galinhas e porcos junto aos detritos, em meio à lama e ao esgoto que transborda pelas vielas. Sem alternativas, o espaço acaba sendo o único local para as crianças brincarem, o que provoca inúmeras doenças infecciosas, principalmente de pele e do sistema digestivo.

Segundo números divulgados pela prefeitura do Rio, Manguinhos e Jacarezinho estão nas últimas posições noranking dos bairros da cidade, tomando por base o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). De um total de 126 bairros, Jacarezinho está em 121º e Manguinhos em 122º.


Fonte: Agência Brasil

Twitter Facebook Favoritos

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Facebook Themes